Automation Manager, a poupança brutal no tempo de produção

“O trabalho de quatro horas, faz-se em dez minutos. (…) E ainda há-de me poupar mais tempo”.

A Woodteam, empresa sediada em Lisboa na área da carpintaria dedicada ao setor de lojas, expositores, escritórios, …, surgiu pelas mãos do pai e tios de Cid Rodrigues, atualmente gerente e gestor de produção.

Começou a trabalhar na empresa há cerca de seis anos atrás, com o objetivo de auxiliar na programação da CNC que já existia. Quando começou, usavam na empresa o ALPHACAM 2011, uma versão muito desatualizada que, como refere Cid “Era impossível o 2011 acompanhar as centenas de peças diferentes que se faz por dia”, sendo a atualização do software a primeira intervenção de Cid.

O gosto pelo Automation Manager, surge quando Cid participa numa formação à medida realizada para um grupo específico de utilizadores do ALPHACAM da grande Lisboa. Este foi um evento tripartido entre a Bitmind, um parceiro de formação e a Eurostand, Lda. Cid conta que “quando o Filipe me mostrou as potencialidades, (…) vi uma solução a um problema enorme, só que faltava o chegar lá”.



“Eu sou capaz de produzir dez vezes mais rápido e não estou a exagerar. (…) Eu agora (…) consigo o material sair da CNC e carregar no carro, não há cá dúvidas.

Cid Rodrigues, Gestor de Produção/ Gerente

Para colmatar a falha que tinham, Cid viu vários softwares, tais como: Cabinet Vision, woodCAD/CAM, o Polyboard, entre outros. “Como o Polyboard era um valor mais económico” foi o que adquiriram na altura conta Cid. “O pós-processador (PGM) (…) não chega nem para a peça mais simples e mesmo para uma peça simples não tem aquele controlo que eu no ALPHACAM tenho.” Cid diz que foi uma semana a tentar trabalhar com o PGM, pois logo na semana a seguir “passou tudo para DXF utilizando o ALPHACAM”, testou os Auto-Estilos, entre outros, e estando reunidas todas as condições avançou então para a compra do Automation Manager e “foi logo à primeira” lembra Cid.

A principal diferença com a utilização Automation Manager é que “o trabalho de quatro horas, faz-se em dez minutos. (…) E ainda há-de me poupar mais tempo!”, afirma com um sorriso e tudo isto por causa da questão da programação.

Questionado sobre as dificuldades sentidas pela mudança na produção, Cid responde “o pessoal”, isto porque, “no início tivemos (Cid e o preparador) que aturar muitos (…) até as coisas baterem certo.” Atualmente “o pessoal está absolutamente convencido”. Sobre a capacidade de resposta da empresa nos dias de hoje, Cid afirma, “eu sou capaz de produzir dez vezes mais rápido e não estou a exagerar. (…) Eu agora (…) consigo o material sair da CNC e carregar no carro, não há cá dúvidas.” Atualmente nada é testado na empresa, existe a confiança suficiente para montar e testar o mobiliário apenas no destino.

Com a produção automatizada, Cid conta que não tem tanta necessidade de mão de obra especializada, contratando jovens e dando-lhes formação interna. Deu o exemplo de ter uma máquina CNC que é operada por um rapaz com menos de 20 anos e que este “não sabe o que é que é um mandril ou electro mandril” conta com um sorriso, não sendo impedimento à realização das suas tarefas.

Relativamente ao futuro, Cid deseja melhorar muito a gestão da produção, quer ter “listagens de mapas de corte, listagens das peças, (…) e a pessoa estar lá com a tablet e conforme faz (…), para eu poder ter todos os tempos de mecanização da obra”. Até lá, ainda está no processo do leitor de código de barras, depois precisa de organizar o seu fluxo de trabalho e só depois “vou-me dedicar a isso” diz Cid. Em desabafo, Cid conta que na empresa, a logística é o sector que carece de mais organização, “incrivelmente acho que está a ser mais difícil circular papéis da produção, do que ter posto o Automation Manager a trabalhar”.

Com a utilização do Automation Manager, Cid descobriu que no ALPHACAM existe “ferramenta para todo o pau. (…) Passei anos sem ter que utilizar uma “querie”, porque não precisava para o dia a dia”. Cid mostrou-se bastante surpreendido quando soube que são ainda poucas as empresas que usam o Automation Manager. “Dado a mais valia que aquilo é, pensei e já sei de outras empresas que utilizam o ALPHACAM, que não estão a utilizar e não percebi porquê, achei aquilo surpreendente”. Com base na sua experiência, Cid defende a utilização do Automation Manager dizendo “eu poupo dez vezes da mão de obra e não há cá argumentos contra isso. Eu sei de empresas que utilizam os Machining Styles (Estilos de Maquinação) e não utilizam o Automation Manager e isso dado os valores… aquilo paga-se logo no primeiro mês”.

Sobre a decisão de ter investido no Automation Manager: “sem este esquema todo que fizemos cá, tinha que trabalhar 24 horas só para produzir as coisas” conta Cid. “Antes de chegar lá, tive que dar uns quantos antes (passos), e agora que chego a este, já vou poder ter o leitor de código de barras, vou alterar o meu layout, colocar rolos para a movimentação das peças, para as coisas terem um fluxo. (…) A partir daqui a um tempo, a ordem com que sai da máquina, passa por todos os elementos e vai-se embora… quero ver se chego a esse ponto, porque facilitaria muito a minha vida.”


Sobre a Empresa

Nome: Woodteam, Lda.

Àrea de Negócio: Marcenaria, Decoração e Carpintaria


Benefícios alcançados

  • Redução do tempo de programação
  • Aumento significativo da produção

 

 

 

Próximo